Facebook Pixel 4 mitos sobre hipermetropia – e-lens

4 mitos sobre hipermetropia

4 mitos sobre hipermetropia

4 mitos sobre hipermetropia

Hipermetropia é um problema ocular caracterizado pela dificuldade em enxergar de perto. Muito simples, certo? Assim mesmo, ainda ocorrem muitas confusões e dúvidas sobre essa condição não-degenerativa. Selecionamos e desmistificamos abaixo 4 mitos sobre hipermetropia que as pessoas levam a sério, podendo comprometer a qualidade de vida e visão.

  1. É causada pelos hábitos

Hábitos não pioram a hipermetropia. A causa do problema é a má formação do globo ocular. Se a estrutura não tiver a profundidade certa, pode ser que as imagens vistas de perto não se formem, como acontece normalmente, em cima da mácula, mas sim atrás dela. Assim, fica difícil enxergar objetos próximos ou que se aproximam, incluindo livros, computador e televisão.

Ficar muito tempo em frente à tela ou não usar óculos não vai piorar a visão e muito menos é a causa da condição.

  1. Hipermetropia e presbiopia são a mesma coisa

Apesar de possuírem os mesmos sintomas, hipermetropia e presbiopia têm causas distintas — e reconhecer a diferença é importante para realizar o tratamento adequado.

A presbiopia ocorre devido a uma dificuldade dos músculos do olho em funcionar para se adequar às exigências visuais. Ou seja, o olho, mesmo com uma formação adequada, tem dificuldade em se “adaptar”, principalmente, para enxergar de perto. É uma condição não relacionada à estrutura ocular.

  1. Lentes são as únicas formas de corrigir o problema

Lentes corretivas estão entre os principais tratamentos para a hipermetropia, pois a partir da correção de convergência dos raios, elas conseguem fazer com que a imagem seja formada na retina, como deveria. No entanto, essa não é a única opção para tratar o problema.

As cirurgias a laser se tornaram uma possibilidade graças ao avanço tecnológico. Um exemplo é a cirurgia refrativa LASIK: rápida e segura, muitas vezes corrige o problema de maneira completa.

  1. Ir ao oftalmologista regularmente não é importante

A hipermetropia não está ligada a hábitos, é uma condição relacionada à formação estrutural dos olhos. Então tudo bem não ir ao oftalmologista, certo? Errado. Consultas regulares são importantes para a detecção de outras condições e garantir sua qualidade de vida.

Somente um especialista no assunto pode acompanhar e oferecer os tratamentos mais adequados. A e-lens ajuda com as lentes de contato para a sua hipermetropia em www.e-lens.com.br.  

Fonte: Hospital de Olhos de São Paulo

Artigos Relacionados