Facebook Pixel Piercing na região dos olhos. Seu toque de personalidade. – e-lens

Piercing na região dos olhos. Seu toque de personalidade.

Piercing na região dos olhos. Seu toque de personalidade.

Entre tantos lugares para colocar um piercing, a região dos olhos é uma das bem requisitadas.

Como a chamada “ponte”, que fica praticamente entre os olhos.

Piercing na região dos olhos. E quem usa óculos, deve evitar atritos da armação com o piercing

É uma formação óssea que faz parte da cavidade nasal e que pode ser perfurada para aplicação de piercing.

Como é uma área que não possui grandes terminações nervosas ou cartilagens e a perfuração é feita na pele, dizem que parece um beliscão, e a dor varia entre mínima a moderada.

A cicatrização dessa colocação dura de dois e três meses e a área pode permanecer inchada por uns 5 dias após a perfuração.

Os cuidados são basicamente os mesmos dos outros piercings: higienização da área com sabonete anti-bacteriano e água corrente.

E, quem usa óculos, deve evitar atritos da armação com o piercing para que tudo cicatrize direitinho sem riscos de rasgar a pele.

Outro muito comum é o piercing de sobrancelha.

O que mais é usado nessa região é uma jóia bem delicada que é trespassada por dentro da pele atrás da lateral externa de uma das sobrancelhas.

Mas existem vários outros formatos que também são muito usados por homens e mulheres, alguns com strass, outros de titânio colorido.

Vai do gosto de cada um.

Uma tendência interessante que também está rolando bastante é o piercing na anti-sobrancelha.

Essa área fica próxima ao olho e um pouco abaixo da sobrancelha.

Conhecido também como “piercing de lágrima”, a jóia pode ser colocada na vertical ou na horizontal, e pode ser composta de um ou mais eixos.

Se você precisa de alguma correção ocular, como miopia ou outro problema, use lentes de contato para ter mais liberdade e valorizar ainda mais seu piercing.

E, se quiser ousar ainda mais, aproveite as lentes de contato coloridas para fazer uma composição incrível.

A experiência do piercing vem de longe.

Não é uma atitude da vida moderna e contemporânea.

Dizem que há mais de 2 mil anos o homem já usava objetos para perfurar a pele e celebrar rituais cheios de simbolismo.

Hoje os motivos não são como dos guerreiros asiáticos de antigamente que colocavam piercing no nariz para ganhar a guerra.

Ou como no antigo Egito que o piercing no umbigo era sinal de realeza.

Existem vários significados, dependendo de cada tribo do mundo.

Na Índia, por exemplo, o brinco no nariz sempre teve relação com a classe social da pessoa.

Já para os índios americanos e para os romanos o piercing no mamilo significava coragem e virilidade.

Se hoje colocar piercing é sinal de ousadia, no passado a experiência vai bem mais além, era algo cheio de valores e significados.

Entre os Astecas e Maias o mais comum era o piercing de língua que distinguia os sacerdotes dos templos.

Eles acreditavam que, através desta prática, poderiam interagir melhor com as divindades.

Piercing na região dos olhos. E quem usa óculos, deve evitar atritos da armação com o piercing para que tudo cicatrize sem riscos de rasgar a pele.

Como o piercing chegou até aqui.

No mundo contemporâneo ele acabou ganhando outro sentido, talvez mais estético e menos existencial.

Foi praticamente na década de 70 na Inglaterra com o movimento punk e nos EUA com os movimentos alternativos.

Já nos anos 90, grandes estilistas como Thierry Mugler e Jean Paul Gautier deram um apoio à nova “arte do corpo”, ajudando a popularizar a prática inclusive no Brasil.

O fato é, o piercing começou com as primeiras comunidades e clãs das raças ancestrais.

Ele estava presente nas tribos de todo o planeta, nas castas indianas, entre os faraós egípcios e legionários romanos.

Nos séculos XVIII e XIX o hábito se disseminou entre os aristocratas, porém foi relegado à obscuridade no século XX.

E só a partir dos anos 70, que virou moda, atingindo seu ápice nos anos 90.

Bem, seja qual for a história, o motivo ou o tipo de piercing que você quer colocar, o principal é cuidar muito bem da higienização para que a cicatrização aconteça tranquilamente e não gere infecções.

Lembre-se sempre de consultar seu oftalmologista para que suas escolhas não prejudiquem sua saúde ocular.

Artigos Relacionados