Facebook Pixel Terçol no olho é chatinho, mas se cuidar logo, melhora logo. – e-lens

Terçol no olho é chatinho, mas se cuidar logo, melhora logo.

Terçol no olho é chatinho, mas se cuidar logo, melhora logo.

Quem já não teve ou não conhece alguém que recebeu o diagnóstico de terçol no olho? Pois é, o inchaço vermelho, que mais parece uma espinha, é mais comum do que a gente imagina. A boa notícia é que o problema na região ocular pode ser solucionado rapidamente, se alguns cuidados forem tomados.

Nesse post vamos explicar, com detalhes, o que é, quais as causas, os sintomas e como tratar o terçol. Continue a leitura para conferir!

O que é o terçol?

O terçol é uma inflamação nas glândulas das pálpebras, que são estruturas extremamente importantes, pois protegem os olhos e ajudam a espalhar a umidade por meio do líquido lacrimal.

As pálpebras são consideradas, também, uma barreira física contra lesões. Logo, qualquer problema na região deve ser tratado de forma adequada para não acarretar prejuízos ao globo ocular.

Conhecido no linguajar médico como hordéolo, o terçol fica bem próximo à raiz dos nossos cílios. Quando aparece, provoca um pequeno acúmulo de secreção ou pus na região.

As glândulas Zeiss e Mol são as responsáveis por realizar a produção de gordura e auxiliar a lubrificação dos olhos, hidratando-os. Ambas estão localizadas na parte externa dos olhos. O terçol surge quando elas ficam entupidas ou são afetadas por bactéria.

O problema pode ocorrer por duas razões: quando há acúmulo indevido de secreção das glândulas ou por causa de outra infecção provocada por bactérias que vivem na pele. Pessoas de todas as idades podem contrair o terçol. Bastante comum, a doença não é contagiosa, mas requer cuidados.

O diagnóstico de terçol é realizado pelo oftalmologista por meio de exame clínico. Para tal, o especialista lança mão de uma lâmpada de fenda, a fim de analisar o olho do paciente com a ajuda de uma luz de alta intensidade e um microscópio.

Um outro problema comum no globo ocular é o calázio, que surge na glândula interna dos olhos, a qual é chamada de Meibomius. Trata-se de um cisto não infeccioso, que exige tratamento específico. Ao contrário do terçol, essa inflamação não é produzida por bactérias.

Terçol no olho

Quais as causas e os sintomas da infecção?

A bactéria Staphylococcus Aureus é a causadora da infecção, uma vez que obstrui as glândulas sebáceas da pálpebra. Não à toa, ela é uma das maiores inimigas do terçol e a mais encontrada na pele humana.

Qualquer problema no funcionamento das glândulas pode gerar o acúmulo de substância nos olhos e ocasionar a inflamação. Outra causa da obstrução na região ocular é a blefarite, que provoca o aumento da secreção de gordura e deixa o local vulnerável às bactérias.

O excesso de oleosidade nos olhos também favorece o aparecimento do terçol, sabia? Até mesmo o estresse e a falta de nutrientes pode ser um fator gerador da inflamação, devido à diminuição da imunidade.

Alguns sintomas são recorrentes em quem apresenta terçol. Após a proliferação das bactérias, um pequeno nódulo vermelho aparece seguido de uma leve coceira e aumento da sensibilidade dos olhos em relação à luz. Há a sensação de corpo estranho e uma dor bem localizada.

Ocorre, ainda, o aumento da temperatura na região. A inflamação e a dor incomodam, mas a doença não é contagiosa. Portanto, não há a necessidade de se utilizar óculos escuros e nem de isolamento.

Como tratar o terçol no olho?

Com algumas medidas simples, você pode amenizar os sintomas e agilizar a cura do terçol. Mas a primeira recomendação é procurar um oftalmologista. Ele é o profissional mais indicado para realizar o diagnóstico e o tratamento adequado em cada caso.

O procedimento para tratar a infecção costuma ser simples, rápido e sem dor. Basicamente, você precisa fazer a higiene da área afetada e da pele ao redor para impedir o acúmulo de secreção. Para tal, use um sabonete neutro ou antibacteriano.

Compressas mornas e úmidas também podem ser aplicadas na região para ajudar na drenagem do conteúdo. Lembre-se de que se trata de uma área sensível, portanto, é preciso delicadeza e cuidado. A aplicação pode ocorrer de três a quatro vezes ao dia, no período de dez a quinze minutos cada uma.

Você pode optar por usar bolsas de água aquecidas ou gazes e algodões umedecidos. A temperatura da água não deve ser alta, pois pode causar queimadura na pálpebra. Logo, todo cuidado é pouco. Além disso, jamais utilize água boricada. Essa substância não é esterilizada e pode agravar a situação.

Em alguns casos, pomadas antibióticas e colírios também podem ser receitados, a depender do quadro de cada um. O médico poderá prescrever, ainda, medicação via oral, como cefalexina.

Dificilmente, o terçol no olho requer uma intervenção cirúrgica. A prática é necessária apenas em lesões mais graves para a drenagem do pus. Grosso modo, o procedimento envolve anestesia local e o paciente é liberado no mesmo dia.

O terçol costuma desaparecer em cerca de quatro dias ou, o mais tardar, uma semana. A redução do inchaço, da dor e da vermelhidão são indícios de melhora.

Porém, a falta de tratamento adequado pode provocar graves inflamações nos olhos, como as celulites. Há, ainda, situações em que ocorre a formação de abcessos, responsáveis pela necrose do tecido na região ocular e, até mesmo, o surgimento de cicatrizes.

Terçol

Quais cuidados quem tem terçol deve tomar?

Para eliminar o terçol o mais rápido possível, você deve tomar alguns cuidados importantes. São eles:

  • mantenha a higiene dos olhos e das mãos;
  • para que a lesão não se espalhe e perdure por mais tempo, não use maquiagem na região dos olhos;
  • tenha muita cautela ao colocar e retirar a lente de contato. Dependendo do tamanho do problema, é melhor não usá-las, até que seja sanado;
  • quem tem doenças de pele, como rosácea e blefarite, deve realizar tratamento com o dermatologista para evitar o aparecimento da infecção;
  • jamais esprema ou fure o terçol. É fundamental que ele seja acompanhado pelo médico para não causar problemas graves.

É importante, também, prestar atenção aos sinais do nosso corpo. Outra recomendação é não deixar para depois os cuidados que precisam ser tomados de imediato. Afinal de contas, a saúde ocular e o alívio dos sintomas dependem diretamente da forma como você acolhe o tratamento e o segue.

A gente sabe que o terçol no olho é chatinho. Mas a excelente notícia é que se for tratado logo, em pouco tempo ele desaparece.

Gostou do nosso conteúdo? Então, não deixe de assinar a nossa newsletter para ficar por dentro de outras informações úteis para você!

Artigos Relacionados