Facebook Pixel Colírio, o remédio líquido dos seus olhos. – e-lens

Colírio, o remédio líquido dos seus olhos.

Colírio, o remédio líquido dos seus olhos.

Quem é que nunca recorreu ao colírio para os olhos para se livrar de um incômodo? Muitas vezes, a solução líquida nos salva de situações inesperadas. Não é à toa que um grande número de pessoas não fica sem ela. Mas você sabia que o colírio é um remédio?

Exatamente! O colírio é um medicamento estéril, ou seja, 100% livre de microorganismos ou partículas sólidas antes da abertura do frasco. Por isso, a fabricação do líquido exige um procedimento bastante rigoroso.

Seja para os pequenos problemas de lubrificação do dia a dia, seja para as necessidades de tratamentos maiores, o colírio entra em contato com o ar após aberto, o que pode contaminá-lo. Por isso, todo cuidado é pouco durante o seu uso.

Neste post, vamos mostrar quais os principais tipos de colírios e para que servem. Falaremos também sobre os cuidados que você precisa ter ao usar o produto e as principais dúvidas a respeito do assunto. Confira!

Colírio para quê?

Sem dúvida, o colírio representa um grande alívio para os olhos. Aplicados em forma de gotas, eles servem para tratar o desconforto ocular, o ressecamento ou a alergia à poeira, por exemplo.

A solução é também recomendada para problemas mais graves, como conjuntivite, inflamações e infecções oculares ou ceratoconjuntivites, isto é, uma alteração que pode causar lesão à superfície da córnea, a membrana transparente situada na parte anterior do olho.

Mas vale lembrar que os colírios são remédios. Logo, devem ser usados apenas sob a orientação e o acompanhamento do oftalmologista. Se você aplicá-los por conta própria, eles até podem aliviar os sintomas, mas isso não significa que estejam tratando a doença.

Saiba, ainda, que o medicamento pode ou não conter corticoide, um derivado sintético do hormônio cortisol que possui ação anti-inflamatória e imunossupressora. Existem diferentes tipos de colírios para tratar problemas de visão específicos. É o que vamos explicar a seguir!

Quais são os tipos de colírio para os olhos?

Lubrificantes

Mais indicados para pessoas com baixa lubrificação no olho ou usuários de lentes de contato. Tratam problemas menos graves, como a síndrome do olho seco, ou seja, a secura ocular.

Também são utilizados para combater o ardor e a irritação provocados por poeiras, fumaça, poluentes, produtos químicos, raios ultravioleta, calor seco ou excessivo, ar-condicionado, vento, computador ou cosméticos.

Antibióticos

São recomendados para o tratamento de infecções e inflamações oculares causadas por bactérias, como as conjuntivites bacterianas, que resultam em vermelhidão, coceira e na produção de substância de cor amarela e densa.

Anti-inflamatórios

Usados para a prevenção e o tratamento da dor e inflamação. Em especial, são aplicados nos casos de recuperação de cirurgia ou tratamento de doenças, como conjuntivite viral, crônica ou ceratite, uma inflamação que surge na córnea.

Antialérgicos

Apropriados para o tratamento da conjuntivite alérgica, coceira persistente, inchaço e irritações leves nos olhos. Tal como acontece com alguns remédios anti-histamínicos, isto é, antialérgicos, o uso desses colírios pode provocar sonolência.

Anestésicos

Podem ser usados em hospitais ou em consultórios para exames de diagnóstico — medição da pressão ocular, raspagem do olho ou retirada de corpos estranhos.

Alivia a dor e a sensibilidade, o que permite a realização dos procedimentos necessários. Porém, esse tipo de colírio requer cautela. Ao utilizá-lo, você jamais deve levar a mão aos olhos ou coçá-los, pois pode machucá-los.

Vasoconstritores

Descongestionam e lubrificam os olhos, sendo especialmente indicados para o alívio de irritações leves e vermelhidão causadas por resfriados, rinite, corpos estranhos, poeiras, fumaça, lentes de contato rígidas, sol ou água de piscina e do mar.

Quais são os principais cuidados na hora de usar o colírio?

Agora que você já conhece os variados tipos de colírio para os olhos, é fundamental prestar atenção aos principais cuidados ao usar o produto. São eles:

Usuários em geral

  • Guarde o frasco fechado em local fresco, escuro e fora do alcance das crianças;
  • Leia a bula do colírio, pois cada solução possui um prazo de validade diferente depois de aberta. A dica é anotar na caixinha o dia de abertura do frasco ou a data máxima para a utilização do produto;
  • Se estiver vencido, ainda que fechado, descarte-o;
  • Você jamais deve usar colírio de terceiros ou emprestar o seu a alguém;
  • Antes de aplicar o remédio, assegure-se de que realmente é a solução correta, caso você use outros tipos de produtos para os olhos;
  • Ao abrir o frasco, não deixe a tampa virada para baixo, a fim de evitar o contato e a contaminação do produto;
  • O ideal é aplicar a solução com o corpo deitado. Pingue as gotas na parte inferior do olho, mais especificamente na bolsa vermelha que se forma ao puxar a pálpebra inferior para baixo;
  • Se estiver de pé ou em um assento, incline a cabeça para trás para facilitar a aplicação. Na dúvida se o colírio caiu ou não no olho, pingue outra gota;
  • Após pingar as gotas recomendadas, a orientação é manter o olho fechado por aproximadamente um minuto e pressionar o canto próximo ao nariz, para ajudar na absorção local do remédio. O ato de piscar pode dispersar o líquido;
  • Evite encostar a ponta do frasco nos cílios na hora de pingar, para que não contamine o conteúdo. Lembre-se de que há vários micro-organismos presentes nos cílios;
  • Da mesma maneira, não encoste a ponta do frasco nos olhos, nos dedos ou em alguma outra superfície. Todo cuidado é importante;
  • Assim que terminar a aplicação, feche imediatamente o frasco;
  • Use sempre o número de gotas indicado pelo oftalmologista para evitar superdosagem.
  • Se precisar usar diferentes tipos de colírios, deve aguardar no mínimo cinco minutos entre uma aplicação e outra;
  • Não lave o rosto e os olhos após aplicar o colírio. Aguarde, pelo menos, 15 minutos até o remédio agir;
  • Quem usa lentes de contato, deve retirá-las ao pingar a solução, a não ser que o colírio seja apropriado para uso sobre as lentes;
  • Se você for utilizar um medicamento para tratar o glaucoma, deve obrigatoriamente retirar as lentes. Aguarde 15 minutos antes de colocá-las após a aplicação da solução;
  • Determinados colírios que tratam o glaucoma devem ser guardados na geladeira antes de serem de abertos. Leia a bula e informe-se com o seu oftalmologista;
  • Colírios com corticoides podem causar aumento da pressão intraocular, catarata e outras alterações nos olhos, caso sejam utilizados fora do prazo de validade;
  • Colírio em excesso faz mal. Ainda que seja uma solução lubrificante, caso possua conservantes, pode levar ao aparecimento de doenças oculares, como a catarata. Por isso, siga as recomendações do seu médico quanto ao uso;
  • Jamais guarde o remédio para usá-lo no futuro nas situações em que os sintomas voltem a aparecer. Você deve procurar orientação médica imediata, caso isso aconteça.

Crianças

  • Crianças que possuem alergia podem ter reações por um período curto após a aplicação do colírio. Se isso ocorrer, o médico deverá ser imediatamente avisado;
  • Caso use lente de contato, ela deve ser retirada antes de pingar o produto e recolocada dez minutos depois ou de acordo com a recomendação do médico.

Em resumo, o colírio para os olhos é uma solução essencial para a saúde do globo ocular, mas deve ser aplicado com muita responsabilidade, como qualquer outro remédio. Por isso, você só deve usá-lo com a permissão e o acompanhamento do seu oftalmologista.

Aprendeu para que serve o colírio para os olhos, quais os tipos e cuidados que você deve ter com esse medicamento? Então, curta a nossa página no Facebook para ficar sempre a par de todos os nossos conteúdos!

Artigos Relacionados