Facebook Pixel Yoga para os olhos. Quando a saúde ocular também pode ser zen. – e-lens

Yoga para os olhos. Quando a saúde ocular também pode ser zen.

Yoga para os olhos. Quando a saúde ocular também pode ser zen.

Todos sabem que a prática da Yoga faz bem para a mente e para o corpo por diversas razões.

E, se ela faz bem para o corpo como um todo, também pode fazer bem para uma região específica dele: os olhos.

Além dos problemas oculares de ordem genética, outros fatores também favorecem os problemas de visão: iluminação artificial e insuficiente, longo tempo de exposição a vídeos e televisão, dieta pobre, ineficiência muscular devido a longas horas de trabalho em escritório ou estudo, tensão mental e emocional, acúmulo de toxinas no corpo e o processo de envelhecimento.

Praticar os exercícios de yoga própria para os olhos pode ajudar, e muito, na recuperação de muitas coisas.

Exercícios de yoga para os olhos.

Exceto doenças como glaucoma, tracoma e catarata, as desordens oculares mais comuns hoje estão relacionadas a problemas funcionais na musculatura dos olhos, agravados por tensões mentais e emocionais crônicas.

Os exercícios que se seguem, apesar de simples, ajudam a aliviar várias desordens relacionadas ao mau funcionamento da musculatura ocular tais como visão de perto e longe, presbiopia e estrabismo.

Os exercícios para os olhos devem ser praticados regularmente com paciência e perseverança.

Não espere cura ou melhora instantânea.

Leva anos para que os olhos desenvolvam um problema, também levará tempo, alguns meses ou mais, antes de um progresso significativo ser percebido.

Contudo, a melhora virá como tem acontecido com muitas pessoas que adotam um estilo yogi de vida.

Aqueles que sofrem de problemas oculares graves devem consultar um especialista em olhos antes de iniciar as práticas de yoga.

Yoga

1 – Palming

Sente-se imóvel e feche os olhos. Friccione as palmas das mãos uma na outra vigorosamente até que se tornem quentes.

Posicione as palmas suavemente sobre as pálpebras, sem fazer pressão indevida.

Sinta o calor e a energia sendo transmitidas das mãos para os olhos e a musculatura ocular relaxando. Repita o procedimento 3 vezes.

Esse exercício revitaliza os músculos dos olhos, estimula a circulação do humor aquoso, o líquido que fica entre a córnea e os cristalinos dos olhos, ajudando a corrigir a visão defeituosa.

2- Piscar

Sente-se com os olhos abertos. Feche as pálpebras 10 vezes rapidamente. Feche os olhos e relaxe por 5 ou 6 respirações profundas. Repita 5 vezes.

Os exercícios ajudam a normalizar o reflexo do piscar, incluindo o relaxamento dos músculos oculares.

3- Olhar para os lados

Sente-se com as pernas esticadas frente ao corpo.

Depois, levante os braços na altura dos ombros, mantendo os punhos fechados e o dedão para cima.

Olhe para um ponto fixo a sua frente no nível dos olhos. Mantenha a cabeça nesta posição fixa, foque nas seguintes instruções uma após a outra, ao mudar seu olhar para o:

Dedão esquerdo

Espaço entre as sobrancelhas (olhar para cima)

Dedão direito

Espaço entre as sobrancelhas

Dedão esquerdo

Repita de 10 a 20 vezes. Depois feche os olhos e descanse.

4 – Olhar para frente e para os lados

Sente-se com as pernas esticadas frente ao corpo.

Coloque a mão esquerda com o punho fechado em cima do joelho esquerdo garantindo que o dedão aponte para cima.

Olhe para um ponto fixo a sua frente no nível dos olhos. Mantenha a cabeça nesta posição fixa.

Ao expirar, foque seus olhos no dedão esquerdo.

Ao inspirar, foque seus olhos no ponto fixo a sua frente no nível dos olhos.

Repita o mesmo processo com o dedão direito.

Depois feche os olhos e descanse.

5 – Olhar rotacional

Sente-se com as pernas esticadas frente ao corpo.

Coloque a mão esquerda no joelho esquerdo.

Coloque seu punho direito acima do joelho direito, com o dedão apontado para cima.

Mantenha seu cotovelo reto.

Agora mantenha a cabeça imóvel, foque seus olhos no dedão.

Rotacione o braço, desenhando um círculo no ar com o dedão.

Mantenha o cotovelo reto. Repita este exercício cinco vezes em cada direção – horária e anti-horária.

Repita o processo com o dedão esquerdo.

Feche os olhos, descanse e relaxe completamente.

6 – Olhar para cima e para baixo

Sente-se com as pernas esticadas frente ao corpo.

Com ambos os dedões apontados para cima, apoie ambos os punhos nos joelhos.

Lentamente levante o dedão direito mantendo o braço reto.

Siga o movimento do dedão com seus olhos.

Quando o dedão estiver levantado ao máximo que conseguir acompanhar com os olhos (sem mexer a cabeça), gradualmente traga para baixo na posição inicial e continue a manter seus olhos focados no dedão a todo o instante enquanto mantém a cabeça imóvel.

Repita o mesmo processo com o dedão esquerdo.

Faça 5 vezes com cada dedão.

Feche os olhos e relaxe.

7 – Foco preliminar na ponta do nariz

Sente-se com as pernas cruzadas. Levante o braço direito reto diretamente a frente do nariz.

Aperte o punho com a mão direita, mantenha seu dedão apontado para cima.

Foque ambos os olhos na ponta do dedão.

Agora dobre o braço e gradualmente traga o dedão na ponta do seu nariz, enquanto mantém os olhos focados na ponta do dedão por todo o tempo.

Mantenha-se nesta posição por um tempo com o dedão na ponta do nariz com os olhos focados ali.

Continue a focar na ponta do dedão, gradualmente estique o braço. Isto é uma série.

Faça pelo menos cinco séries.

8 – Olhar próximo e distante

Fique de pé ou sentado próximo a uma janela aberta com uma visão clara do horizonte.

Mantenha os braços ao lado. Foque na ponta do nariz por 5 – 10 segundos.

Mude o foco para o horizonte por 5 – 10 segundos.

Repita isso por 10 a 20 vezes.

Feche os olhos e relaxe.

Após completar todos os exercícios, deite-se de barriga para cima, os braços na lateral do corpo e palmas das mãos voltadas para cima, fique assim por alguns minutos e relaxe completamente. Respire gentil e normalmente.

Artigos Relacionados

Tags: