Facebook Pixel Glaucoma tem cura? Glaucoma tem tratamento. – e-lens

Glaucoma tem cura? Glaucoma tem tratamento.

Glaucoma tem cura? Glaucoma tem tratamento.

Muitas pessoas se perguntam: “glaucoma tem cura?”. A resposta mais adequada é: glaucoma tem tratamento. Na maioria dos casos, essa doença que atinge o nervo responsável pela visão está relacionada ao aumento da pressão intraocular.

Tal quadro pode causar danos aos vasos sanguíneos e ao nervo óptico. Logo, se não tratado a tempo ou de forma adequada, o glaucoma leva à perda de visão irreversível, isto é, à cegueira.

Neste post, entenda quais são os tipos de glaucoma, os sintomas, os fatores de risco, como tratar a doença e os cuidados que é preciso ter para a melhora do quadro!

Quais os tipos de glaucoma?

Existem quatro tipos de glaucoma. A seguir, saiba quais são eles!

Glaucoma agudo

Ocorre quando há o bloqueio súbito dos canais de drenagem dos olhos, o que origina um aumento rápido, doloroso e grave na pressão intraocular. Diferentemente do tipo crônico  — no qual a pressão ocular desenvolve-se lenta e silenciosamente e, aos poucos, causa danos à visão —, o glaucoma agudo é considerado emergencial.

Glaucoma crônico

É o tipo mais comum e tende a ser hereditário, mas sua causa é desconhecida. Nele, um aumento na pressão ocular desenvolve-se lentamente com o passar do tempo. A pressão elevada provoca um dano permanente no nervo óptico e leva à perda do campo visual. Em geral, atinge ambos os olhos, mas não há sintomas.

Glaucoma congênito

É quando a criança nasce com a doença, herdada da mãe durante a gravidez. Esse tipo de glaucoma é considerado raro e deve ser tratado de imediato, assim que descoberto. É possível diagnosticá-lo por volta dos seis meses de idade.

Glaucoma secundário

Em geral, é causado pelo uso de medicamentos, como corticosteroides, e também por traumas e outras doenças oculares. O aparecimento da condição está relacionado também à catarata e ao diabetes.

Quais os sintomas da doença?

Agora, sim, você não precisa mais se perguntar se o glaucoma tem cura e quais são os tipos existentes. Mas e quanto aos sintomas? Confira, a seguir, quais sãos os principais sinais da doença:

  • vermelhidão e dor nos olhos;
  • dificuldade para enxergar;
  • náuseas e vômitos;
  • dor de cabeça;
  • vista turva e embaçada;
  • redução da visão periférica;
  • aumento das pupilas ou do tamanho dos olhos.

Além disso, é importante ressaltar que os indícios variam conforme o estágio do glaucoma. Entenda!

Estágio inicial

Os sintomas são menos perceptíveis, já que o olho não dói, não coça, não arde, não embaça e nem fica vermelho.

Estágio intermediário

A pessoa começa a perder a visão das bordas das imagens.

Estágio final

Acontece uma perda significativa da visão nas bordas da imagem. A impressão é de vê-la por dentro de um tubo.

Quais os fatores de risco?

Algumas pessoas são mais propensas a adquirir o glaucoma. A doença pode afetar, principalmente, indivíduos acima de 40 anos, afrodescendentes com alto grau de miopia e aqueles que herdam o problema geneticamente.

Além disso, há outros fatores de risco que precisam ser observados. Saiba mais!

Hipertensão arterial e diabetes

Pacientes hipertensos ou com diabetes têm mais chances de adquirir glaucoma, especialmente se tiverem mais de 40 anos. Quem tem ambas as doenças corre um risco ainda maior.

Estresse

O estresse causa a dilatação da pupila e acarreta o bloqueio pupilar, o que culmina no aumento da pressão intraocular. Quem já foi diagnosticado com glaucoma também deve tomar cuidado, pois as crises emocionais podem provocar danos ao nervo óptico e levar à perda da visão.

Sedentarismo

A atividade física auxilia a redução da pressão intraocular e da produção do humor aquoso, além de favorecer a drenagem do líquido. Por isso, é importante se exercitar, ao menos, três vezes por semana. A dica vale para quem tem e não tem glaucoma.

Diagnóstico tardio

O diagnóstico tardio favorece os danos à visão e prejudica o sucesso do tratamento. O glaucoma crônico não apresenta sintomas, por isso, a única maneira de descobrir o problema é por meio da consulta regular com o oftalmologista.

Quais as formas de tratamento?

Glaucoma tem cura? Glaucoma tem tratamento.

Quando alguém perguntar a você se o glaucoma tem cura, pode responder sem titubear: não, mas tem tratamento. Afinal de contas, como tratá-lo? O método aplicado, que varia de acordo com o tipo da doença, envolve o uso de colírios e comprimidos ou, até mesmo, a cirurgia.

Na maioria das vezes, é possível tratar o glaucoma apenas com colírios. Porém, o oftalmologista é quem vai indicar e orientar o uso mais adequado para cada caso. Se o paciente seguir o tratamento à risca, haverá a redução da pressão intraocular. Dessa forma, o nervo óptico e a visão estarão protegidos.

Cirurgia

A prática cirúrgica para solucionar o glaucoma é recomendada nos casos congênitos ou quando os medicamentos não são capazes de controlar a pressão dos olhos. Sendo assim, a cirurgia a laser é eficaz para combater o bloqueio no canal de drenagem.

Entretanto, a vista embaçada — complicação que costuma ser recorrente nessas situações — vai exigir um outro método cirúrgico. Vale apontar que a cirurgia é realizada principalmente em pacientes que têm glaucoma agudo.

O glaucoma crônico, por sua vez, é tratado com colírios ou medicamentos orais, os quais oferecem bons resultados, na maior parte dos casos. Apenas as situações mais graves exigem a intervenção cirúrgica.

Quais cuidados são importantes para a melhora do quadro?

Quem tem glaucoma deve tomar alguns cuidados essenciais para o sucesso do tratamento. São eles:

  • use somente medicamentos de acordo com a orientação médica;
  • preste atenção ao horário do colírio. Coloque-o em sua rotina diária para não pular nenhum dia e prejudicar o tratamento;
  • se tiver algum efeito colateral, avise o oftalmologista imediatamente;
  • compareça a todas as consultas.

Quais são as dicas para aplicar o colírio?

Para quem tem glaucoma, a aplicação correta do colírio é fundamental para que a medicação atue de forma esperada. Confira as dicas a seguir:

  • procure sentar em uma posição confortável;
  • incline a cabeça para trás e olhe para cima;
  • puxe delicadamente a pálpebra inferior para formar uma bolsa e aplique o colírio nessa região;
  • feche o olho por cerca de dois minutos para que o remédio seja bem absorvido;
  • bloqueie os canais lacrimais com o dedo polegar ou indicador;
  • se usar mais de um colírio, aguarde alguns minutos entre as aplicações. O excesso de medicamento pode diminuir sua eficácia.

No início deste post, perguntamos se o glaucoma tem cura. Como você já sabe, a resposta é não. Porém, é possível controlar o problema por meio de tratamento. Portanto, não deixe de buscar ajuda médica e agendar consultas regulares com o oftalmologista para ficar em dia com a saúde dos seus olhos.

Agora, sim, você está a par de tudo sobre o glaucoma. Aproveite que está por aqui e descubra quando ir ao oftalmologista!

Artigos Relacionados